Resenha #441: The Gilded Wolves - Roshani Chokshi (Wednesday Books)

Share:
Título: The Gilded Wolves
Título Original: ---
Autor: Melissa Williams
Série: The Gilded Wolves #1
Páginas: 400
Ano: 2019
Editora: Wednesday Books
Sinopse*: Paris, 1889: O mundo está à beira da indústria e do poder, e a Exposition Universelle deu nova vida às ruas e dragou antigos segredos. Nesta cidade, ninguém controla melhor os segredos do que o caçador de tesouros e o rico hoteleiro, Séverin Montagnet-Alarie. Mas quando a sociedade todo-poderosa, a Ordem de Babel, procura por ajuda, Séverin recebe um tesouro que ele nunca imaginou: sua verdadeira herança.
Para encontrar o artefato antigo que a Ordem procura, Séverin precisará da ajuda de um grupo de especialistas:
Um engenheiro com uma dívida a pagar. Um historiador que ainda não pode ir para casa. Uma dançarina com um passado sinistro. E um irmão em tudo, menos sangue, que poderia se importar muito.
Juntos, eles terão que usar sua inteligência e conhecimento para caçar o artefato através do coração escuro e brilhante de Paris. O que eles acham pode mudar o mundo, mas somente se eles puderem permanecer vivos.


Na primeira vez que li a sinopse de The Gilded Wolves, senti muitas vibes de Six of Crows. Claro que temos muitas histórias que sempre tem um grupo de pessoas, cada um com uma especialidade diferente, porém nesse livro específico tudo gritava SIX OF CROWS!!! Realmente eu não estava errada.

Ao final do livro, tive a sensação que a autora juntou Six of Crows e Crooked Kingdom em um livro só. Foram muitas situações e atitudes que foi difícil não comparar as duas histórias, principalmente nessa questão da busca por um artefato perdido.

Outro ponto que foi difícil ignorar foi a personalidade de alguns dos personagens, como vi várias resenhas comentando. Severin em certos momentos lembra um pouco Kaz, só que menos frio; Laila vem do mesmo ambiente que a Inej; Hypnos e Enrique possuem aquele jeito charmoso e flertador do Jesper; Tristan possui a mesma inocência que Wylan. A única que é meio divergente é Zofia, que é de longe minha personagem favorita. Não é dito com todas as letras, mas ela parece estar no espectro autista e é bem interessante ver suas interações.

Apesar de todas essas comparações, todos os personagens têm sua personalidade explorada em seu tempo. Cada um ajuda Séverin por motivos pessoais, mas eles funcionam muito bem juntos. Dá pra perceber que eles se importam um com o outro e praticamente se encontram em uma família. Há indícios de algo mais entre alguns, mas pelo aqui esse foi não foi o foco. Creio que isso possa ser explorado mais na frente e confesso que estou bem interessada como vai funcionar em certos personagens.


Mas nem só de ponto negativo e comparações viveu The Gilded Wolves. Gostei bastante do universo criado por Roshani. Em uma Paris no final do século 19, temos todo aquele glamour da cidade. As descrições das festas e dos locais, como a construção da Torre Eiffel e da Exposition Universelle (que realmente existiu e foi a fonte de inspiração da autora para a história), são bem vívidas e envolventes.

Os personagens são bem diversificados. Laila é de descendência indiana; Zofia é judia polonesa; Enrique é metade espanhol, metade filipino e sofre um certo preconceito velado em uma sociedade filipina; Hypnos é negro e Séverin também é filho de casal interracial. Não somente de etnias temos a diversificação. Temos Enrique representando lindamente o B da comunidade; Hypnos aparentemente parece ser 100% gay, mas por alguns de seus comentários para o lado de Laila e Zofia me fazem desconfiar que ele também seja bi. Já Zofia creio que seja assexual (e isso não tem nada a ver com o fato dela ser autista, aviso logo).

A questão da mitologia que envolve a Ordem de Babel também foi bem embasada e bem interessante. O início pode ser confuso, já que a autora solta um monte de informação sobre a Ordem e a questão da magia, mas ao longo da leitura a gente vai se acostumando com os termos e como tudo funciona.

Inclusive gostei bastante também como a magia funciona. No caso, a magia é chamada de Forja (tradução livre minha). Ou seja, não acontece do nada, mas sim Forjada. É aquele princípio de Lavoisier: na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma. Assim acontece com a magia Forjada; ela parte de algo já existente.

A escrita da autora é bem direta e envolvente. A narração é feita em terceira pessoa, focada nos personagens. A reta final é de acelerar o coração, mesmo eu ficando confusa com algumas cenas de ação. O final é de cair o queixo e deixar aquele gostinho de ansiedade para a continuação. The Silvered Serpents está com lançamento previsto para fevereiro de 2020. Enquanto isso, The Gilded Wolves segue sem previsão de lançamento no Brasil.

11 comentários:

  1. Gosto dessa parte de mitologia da história.
    Como sempre, você arrasa nas indicações de livros internacionais.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  2. Hmmm, gostei da dica, adorei a capa e adoro a mitologia abordada, pena que deve demorar a chegar aqui né..

    Beijos Mila

    Daily of Books Mila

    ResponderExcluir
  3. Esse livro parece ser muito inteligente, a ideia da magia por exemplo, é bem legal.
    E acho que seria bacana você formar o elenco desse livro né não? Seria legal para nós, que ainda não lemos o livro, mas temos curiosidade, poder imaginar os personagens, já que há tantas etnias diferentes.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥ | Instagram - Vem interagir no Insta tbm!

    ResponderExcluir
  4. Olá, Luiza.
    Eu amei essa capa. E achei o enredo do livro bem interessante. Não li ainda os que você fez comparação, mas só vejo elogios a eles. Se lançar por aqui vou querer ler.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  5. Oie Luiza.
    Eu não conheço "Six of crows " apesar de ter ouvido muita gente falar sobre.Esse livro é da mesma autora ?

    Gostei da sinopse ,parece ser um livro muito interessante

    Beijos

    Meu mundinho quase perfeito

    ResponderExcluir
  6. Oi Lu! Me ganhou quando vi que tem ambientação em Paris. Eu não li os livros que você comparou a obra, então acho que a leitura teria mais pontos positivos que negativos para mim. Adorei a dica. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  7. Achei interessante a diversificação, li um livro assim e foi uma experiência maravilhosa!

    Beijos

    Imersão Literária

    ResponderExcluir
  8. Oi Lu,
    Não conhecia o livro, mas fiquei animada que em 02/2020 ele estará por aqui.
    Provavelmente, vou ler, ainda mais porque não li 'Six Of Crows', rs.
    Beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Eu não sei se leria esse livro agora porque não é muito a 'vibe' que estou no momento e a história não me chamou tanta a atenção mas gostei muito de saber que a representatividade está presente nele de várias formas. Adoro como isso tem sido cada vez mais incluso nos livros recentemente.

    Abraço,
    Parágrafo Cult

    ResponderExcluir
  10. Oi Lu, eu nunca li nada da autora, mas gostei bastante da premissa e da descrição dos personagens!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  11. Oi Luiza, acho que quando lemos muito, como você, sempre acabamos comparando um livro com outro, percebendo pedacinhos da história em comum. Acontece também com quem assiste a muitos filmes.
    Gostei da sinopse do livro, dessa pegada de mitologia no meio da história e de como você apresentou o livro nesse post.
    beijos
    Chris
    Inventando com a Mamãe / Instagram  / Facebook / Pinterest


    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e volte sempre!
Deixe seu comentário/opinião; estou muito interessada e ele será respondido assim que possível.
Deixe também seu blog, se tiver, que assim possível farei uma visita :)