17 julho 2018

Resenha #297: Todo Dia - David Levithan (Galera Record)

Título: Todo Dia
Título Original: Every Day
Autor: David Levithan
Série: Every Day #1
Páginas: 208
Ano: 2013
Editora: Galera Record
Sinopse: Neste novo romance, David Levithan leva a criatividade a outro patamar.
Seu protagonista, A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Depois de 16 anos vivendo assim, A já aprendeu a seguir as próprias regras: nunca interferir, nem se envolver. Até que uma manhã acorda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon.
A partir desse momento, todas as suas prioridades mudam, e, conforme se envolvem mais, lutando para se reencontrarem a cada 24 horas, A e Rhiannon precisam questionar tudo em nome do amor.


Desde que li Will & Will, parceria do Levithan com o John Green, eu tomei um trauma tão grande do autor que eu não queria ler mais nada dele. Todo mundo me dizia que Todo Dia era o melhor livro dele e nem se comparava com a bomba escrita com o João Verde. Depois de um pacto e muita insistência do David (Território Geek Nerd), me rendi a esse livro. Não achei aquela maravilha que todo mundo vende, mas foi uma boa leitura.

Logo no começo do livro, eu logo suspeitei da mensagem principal da história: o amor incondicional. Você pode ser homem, mulher, vermelho, amarelo, mas o que importa é o sentimento. Essa questão me lembrou bastante a série Sense8. Se excluirmos toda aquela questão da ação, suspense e ficção científica que roda a série, temos essa mesma questão do amar a pessoa e não o seu corpo. Em Sense8, temos um casal lésbico composto por uma transgênero e uma pansexual; temos um relacionamento a três composto por um casal gay e uma hétero. Então, se formos ver, tudo é forma de amar e é isso que o livro do David passa.

OK que de primeira eu fiquei com um pé atrás com esse sentimento de A pela Rhiannon e, principalmente, da Rhiannon por A. Assim como discuti com os migos que são defensores fieis da história, A nunca sentiu aquilo por ninguém e por isso que o sentimento pela Rhiannon era tão intenso. Mas já no caso da Rhiannon eu achei tudo muito rápido demais porque até outro capítulo ela clamava que amava o namorado. (Eu ainda vou chegar nessa parte)


Achei bem legal essa história de A acordar todo dia em um corpo diferente. A história toda é contada em primeira pessoa, narrada por elx*. Cada capítulo acompanhamos como A tenta não interferir muito na vida d@ hospedeir@ e, ao mesmo tempo, conquistar Rhiannon. Os meus capítulos favoritos foram os que A acordou em corpos não convencionais, como o de um viciado, de uma menina transgênero… Foi bem feita a abordagem nesses aspectos.

A escrita do Levithan realmente nem chega perto do que foi no livro-bomba com o João Verde. A escrita é bem fluída, o que facilitou muito para minha leitura. No dia que comecei a ler, logo cheguei em 25% e nem percebi. O autor também levanta alguns questionamentos interessantes, como identidade de gênero e religião.

Todo Dia iria levar quatro gatinhos facilmente, mas quase no final do livro eu percebi algo que foi como um balde de água fria. Rhiannon tem um namorado, Justin. Tanto que é nesse corpo que A conhece a garota. OK que o namorado dela é mó escroto e o relacionamento deles é um tanto abusivo. Porém, por mais que o namorado dela seja a própria caçamba de lixo, no momento que ela começou a se relacionar com o tal do A sem terminar com ele, pra mim já é traição e esse é um assunto que eu fujo mais do que eu fugia do Levithan. Eu evito muito histórias com traição porque eu já passei por acontecimentos que envolveram isso e até hoje é algo me impede de perdoar 100% uma pessoa bastante importante na minha vida. Creio e compreendo que essa pode não ter sido a intenção do autor, mas infelizmente eu interpretei assim e esse detalhe me fez tirar meio gatinho (e eu ainda fui boazinha)

Falando na relação de Rhiannon e A, também achei interessante como o autor abordou quando A acordava em um corpo que, de certa forma, incomodava Rhiannon, como quando elx acordava em corpo de meninas. A ficava chateadx por Rhiannon não se sentir tão à vontade perto delx quando elx acordava em corpos assim, mas eu entendia também o lado dela. A teve a vida toda para se acostumar a não ligar para corpos, porém Rhiannon (assim como nós), mesmo sem querer, também nos preocupamos com a forma física da pessoa que nos interessamos. Pelo que pude ver de Rhiannon através dos olhos de A, ela pode ser uma pessoa pansexual. Mas o que aconteceria se A se apaixonasse por uma pessoa que fosse 100% certa da sua orientação sexual, não sabendo lidar com essa troca de corpos? Porque, falar que ama o interior da pessoa é fácil, mas na prática não é bem assim que acontece na maioria das vezes…

O final da história já era algo que eu suspeitava. Não haveria outro jeito para A e Rhiannon, mas ainda assim eu fiquei bastante triste, principalmente pela vida de A e o que ele sente por Rhiannon.

Em 2016, David lançou Outro Dia, que é esse livro contado na visão da Rhiannon. Foi um livro que dividiu a opinião dos fãs e eu, particularmente, não irei ler porque 1- não tenho vontade e 2- não curti muito a Rhiannon.

Apesar de toda minha relutância no passado em relação a ler esse livro, Todo Dia foi uma leitura interessante e com questionamentos que você pode trazer fácil fácil para a realidade.

* Como A não tem um gênero definido na história, eu achei melhor utilizar de pronomes neutros

16 comentários:

  1. Oi, Lu
    Eu nunca tinha lido nada do autor né, aí também me indicaram essa obra porque era ótima e bla blá blá, aquela história toda. Eu li e gostei, mas não acho que o livro seja mega hiper especial, tem livros que são mil vezes melhores e cativam mais. Só não curti o final mas sei que não teria também como ter outro, como você disse, mesmo assim, gostei da obra, só não amei como geral. Achei a escrita do autor tão parada quanto a do John Green.
    Beijos

    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Lu!
    Eu sempre fiquei com um pé atrás de Todo Dia porque acho a história meio bizarra, e também porque MEU DEUS como sofri lendo Naomi e Ely e a Lista do Não Beijo, do David com a Rachel, tenho nem palavras para como desgosto daquele livro. Agora tô achando que é o David que não pode escrever com mais ninguém auhsauhsauhsuahsuahsas
    E pela sua nota, eu realmente não acho que vou conseguir curtir o livro. Quero ver o filme, no caso de Naomi e Ely, foi mais suportável. Então vamos ver, né?

    bjs
    Queria Estar Lendo

    ResponderExcluir
  3. Oie
    Lembro que quando li este livro eu até gostei, mas não foi tu isso isso sabe. Eu tbm não li o segundo e nem pretendo assistir ao filme. Foi o tipo de enredo que eu fiquei dividida sabe.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi Lu, esse livro tá aparecendo bastante em postagens no Instagram, mas desde que li a sinopse dele e primeira resenha senti que não seria uma leitura que me satisfaria. Confesso que tenho interesse em conhecer uma trama tão peculiar, como o autor aborda essa questão do amor incondicional em relação à pessoa e não ao corpo, como seria a interação dos personagens quando o/a protagonista surge em diversos corpos... mas sinto que a leitura poderia me frustrar, porque eu gosto de romances dengosos e cheios de mimimi, hahaha!

    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Oii Luiza.
    Recentemente eu assisti o filme baseado em Todo Dia, versão EUA da história. Eu achei a proposta boa também, só que um tanto mal desenvolvida. Contudo, sua resenha me motiva a ler a história.
    PS: Eu também não leria a versão dela. Porque francamente, isso só serve pro autor encher mais os bolsos.
    Beijos.

    Blog: Fantástica Ficção

    ResponderExcluir
  6. Achei bem interessante!
    Beijos,
    www.thalitamaia.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Lu

    trauma tenho eu do John Green, gentee
    n consigo ler nada desse homi kkkkkkk

    Li 'Todo Dia' e gostei, n foi o melhor da vida mas n foi tão ruim qt eu pensava!
    Tb n tenho interesse em ler o outro livro sobre a história
    Mas qro mt conferir o filme!

    Obs.: demorei pra ler a resenha pq foquei em 'Feita de Fumaça e Osso' <3
    Tô louca atrás do terceiro livro pra terminar essa história que amei tanto!

    Bjooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi Lu,
    Gosto da escrita do David e lembro quando li esse livro gostei muito da história. Ultimamente ando fugindo mais do John Green do que do Levithan rsrs.
    Bjs e uma boa semana!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    ResponderExcluir
  9. Olá, Luiza.
    Esse foi o primeiro livro que li do autor, depois que li Will e Will e imagine a minha decepção hehe. Eu gostei muito do livro, principalmente por mostrar isso de não ver o exterior. Mas não sei como eu reagiria no lugar dela.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  10. Oi Lu, eu estou com o livro na minha estante pronto para ser lido! Eu já vi o filme e achei super fofo e toda a mensagem de amor incondicional é bem bacana!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  11. Todo mundo diz que o livro é melhor que o filme - que eu achei bem fraco.

    https://clebereldridge.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Confesso que é um livro que não gostei muito, detestei o final... achei por vezes confuso e dúbio. Não sei, não foi uma história para mim.

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir
  13. Oi, Lu.
    Eu não li nada do autor, então nem tenho porque ter um pé atrás. Iniciaria a leitura bem neutra rs.
    Espero gostar mais do que você haha.

    Tenha uma ótima noite!

    Abraços,
    Naty
    http://www.revelandosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  14. Nunca ouvi falar desse autor, bem intrigante o trabalho dele ne? Bjs

    www.deboradahl.com

    ResponderExcluir
  15. Oi, Lu! Tudo bom?
    Eu tinha me interessado bastante por essa história quando saiu o primeiro trailer do filme, porém todavia entretanto quando parei pra analisar, achei MUITO CREEPY.
    Essa coisa dx A acordar no corpo de um hospedeiro diferente todo dia COMO FICA O HOSPEDEIRO? O QUE ACONTECE NA CABEÇA DA PESSOA ENQUANTO ELX TÁ ALI? E DEPOIS QUE VAI? E O TRAUMA????????? Porque tecnicamente elx tá se relacionando com a garota e interagindo com ela DEUS ME LIVRE ACORDAR PRESA NA MINHA CABEÇA PORQUE TEM UMA ENTIDADE EM MIM E ELE GOSTA DE UMA PESSOA ALEATÓRIA.
    Enfim estraguei a história pra mim mesma transformando ela num fucking thriller psicológico UHASUHUHASUHASUHASUHASUHAS c'est la vie.

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  16. Oi Lu!
    Bem a gente diverge kkk. Esse e um dos meus livros favoritos da vida e eu fiquei feliz que voce leu e curtiu. Foi bom pelo menos tu viu que Levithan nao se resume a Will Will. Ele tem uns livros bem caidos, confesso. Naomi e Ely e outro q nao suporto. Mas no geral, as tramas dele sao legais.
    O que eu mais gosto nesse livro e a proposta do livro. Acho q muito gente ficou decepcionada pq se guiou pelo lance dele trocar de corpo quando a mensagem passa longe disso. E é justamente disso q eu gosto.
    E sobre o fim, mano, eu nao via como ter um final fechado. Gostei mais do final do filme? Sim. Mas gosto bastante desse do livro tambem. Em mim deixou a impressao de continuidade. Nao q precisasse. Mas o leitor fica livre pra idealizar.

    Abraços
    David
    https://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e volte sempre!
Deixe seu comentário/opinião; estou muito interessada e ele será respondido assim que possível.
Deixe também seu blog, se tiver, que assim possível farei uma visita :)

Tecnologia do Blogger.