29 maio 2018

Resenha #283: A Lista Negra - Jennifer Brown (Gutenberg)

Título: A Lista Negra
Título Original: Hate List
Autor: Jennifer Brown
Série: ---
Páginas: 272
Ano: 2012
Editora: Gutenberg
Sinopse: E se você desejasse a morte de uma pessoa e isso acontecesse? E se o assassino fosse alguém que você ama?
O namorado de Valerie Leftman, Nick Levil, abriu fogo contra vários alunos na cantina da escola em que estudavam. Atingida ao tentar detê-lo, Valerie também acaba salvando a vida de uma colega que a maltratava, mas é responsabilizada pela tragédia por causa da lista que ajudou a criar. A lista com o nome dos estudantes que praticavam bullying contra os dois. A lista que ele usou para escolher seus alvos.
Agora, ainda se recuperando do ferimento e do trauma, Val é forçada a enfrentar uma dura realidade ao voltar para a escola para terminar o Ensino Médio. Assombrada pela lembrança do namorado, que ainda ama, passando por problemas de relacionamento com a família, com os ex-amigos e a garota a quem salvou, Val deve enfrentar seus fantasmas e encontrar seu papel nessa história em que todos são, ao mesmo tempo, responsáveis e vítimas.
A Lista Negra, de Jennifer Brown, é um romance instigante, que toca o leitor; leitura obrigatória, profunda e comovente. Um livro sobre bullying praticado dentro das escolas que provoca reflexões sobre as atitudes, responsabilidades e, principalmente, sobre o comportamento humano. Enfim, uma bela história sobre auto-conhecimento e o perdão.


A Lista Negra era um livro que estava tanto na lista de desejados quanto nas de leituras que eu deveria muito ler ainda nessa vida. Bom, tirei ele de ambas as listas. Após muitos elogios, eu esperava que realmente o livro mexesse comigo… Mexeu, mas não pelas razões que ele deveria.

Eu pensei que a história iria mostrar o antes e depois do tiroteio no colégio Garvin, porém só temos alguns vislumbres do que realmente aconteceu no dia 02 de maio de 2008. A história é focada em Valerie e nos acontecimentos posteriores, tanto na sua recuperação quanto na sua volta para a escola.

A dor de Valerie é bem profunda. Além de se sentir culpada pelo acontecimento, ela se culpa mais ainda por não perceber o que Nick tanto planejava fazer com sua Lista Negra. E essa culpa aumenta pelo fato dela ainda amar o ex-namorado. Ao longo do livro, vamos acompanhando Valerie sair de um lugar bem depressivo, carregado dessas culpas. Interesse ver os flashbacks entre Valerie e Nick, como todos os sinais estavam na sua cara e ela não percebeu. Infelizmente é algo que acontece muito na realidade.

Também vemos a rotina do Colégio Garvin e como as pessoas estão lidando com as consequências do tiroteio. Alguns culpam Valerie, outros não, mas todos ainda estão bem abalados com tudo. Quando eu estava lendo esse livro, houve mais um tiroteio em uma escola nos EUA. O VIGÉSIMO SEGUNDO só esse ano, minha gente…


Agora quem me fez passar raiva mesmo foram os adultos. Gente, pelamor da deusa! Os pais de Valerie super negligentes, não só com a filha, mas com o outro filho. E eu nem vou começar a falar daquele embuste que diz ser pai dela. Nem merece título de pai. Outro lesado é o diretor da escola e sua política de agora ser tudo paz e amor. Paz e amor é o cacete, mano! Na moral, eu passei muita raiva com esse povo justamente por esse fechar de olhos deles. Os únicos adultos realmente decentes e cabeça boa eram o doutor Hieler (psicólogo de Valerie) e a senhorita Tate (conselheira estudantil). De resto, todo mundo precisava ir em um psicólogo.

Apesar de ser uma leitura que me envolveu e me deixou angustiada em certos momentos, também achei que foi uma leitura um tanto monótona. Eu queria ver mais sobre Nick e realmente os motivos que o levou a fazer isso, mas o foco mesmo é na Valerie e sua participação na Lista Negra. O que começou mais como uma brincadeira tomou proporções que ela nunca imaginaria.

Eu estava com grandes expectativas para A Lista Negra. Infelizmente nem todas foram atendidas, mas no fim das contas não foi uma leitura completamente ruim e mexeu muito comigo, sendo isso o importante.

13 comentários:

  1. Oi, Lu
    Infelizmente tiroteios são muito comuns nos EUA, e eu ainda não entendo como o país não faz políticas para evitar esse tipo de coisa que constantemente acontece. Eu não queria ler o livro por causa do tema, estou evitando personagens depressivos e etc, mas vou guardar o nome para quem sabe ler futuramente.
    Beijos

    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
  2. Olá Luiza! Tudo bom?
    Não conhecia o livro, mas gostei da premissa dele e da sua resenha.
    Obrigada pelo comentário lá no meu blog.
    Volte sempre!

    ~ miiistoquente

    ResponderExcluir
  3. Oiii Lu

    A premissa desse livro é bem realista, crua e acho que sinceramente a autora poderia ter trabalhado bem mais no enredo, pra que a leitura não ficasse tão monótona em certos momentos. Mesmo assim, é uma história que ainda acho bem interessante.


    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  4. Nossa, que história forte. Ainda não tinha visto nada sobre ele, mas amei a premissa. Já anotei a dica, Lu!

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Lu,
    Tenho esse livro no Lev, porque ele é um dos favoritos da Pam Gonçalves.
    Não sei o que esperar, porque já vi resenhas positivas e negativas, então vou ler com mais pé no chão, rs.
    Beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Lu!
    Tenho zero vontade de ler esse livro, e depois dos teus comentários pelo grupo da gente, fiquei com menos vontade ainda. Esses pais só me lembraram os adultos de Desventuras em Série. Chega dá canseira. Eu não consigo gostar quando foge muito do realismo pra mim. E essa galera tem hora que exagera.

    Abraços
    David
    https://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Eu li esse livro há um bom tempo atrás, e lembro que me senti como você: estava com varias expectativas, foi uma boa leitura, mas a história nao correspondeu a tudo que eu estava esperando mesmo. Os Delírios Literários de Lex

    ResponderExcluir
  8. Oi Lu, tudo bem? É inegável que esse tema é de uma relevância absurda... acho que todos precisamos voltar nossos olhos para esse problema que se instalou entre os jovens (bullying e preconceitos) e todas as consequências dele decorrentes. Achei a ideia do livro bem interessante e fiquei interessada na leitura. Uma pena que frustrou tuas expectativas, é muito ruim quando isso acontece.
    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Oi Lu, td bem??
    Tenho muita vontade de ler! Af, passar nervoso com os pais deve ter sido uó, mas o bom é realmente a leitura ter te proporcionado reflexão!
    Adorei a resenha!
    beijos
    www.somosvisiveiseinfinitos.com.br
    Vídeo novo: https://www.youtube.com/watch?v=5xMZyV3scSw

    ResponderExcluir
  10. Oi Lu, todo ano eu digo que vou ler algum livro dessa mulher e nunca leio! Mas acho que não vou começar com esse não rsrsrrss

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  11. Oi Lu! Que pena que não foi um livro que atingiu suas expectativas, eu li faz um tempinho, mas eu gostei bastante. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  12. Oi Luiza!
    Tenho bastante curiosidade em ler esse livro. Pelo o que você comentou também vou me irritar com esses adultos sem noção.
    Bjs

    EntreLinhas Fantásticas

    ResponderExcluir
  13. Eu amo tanto esse livro! Infelizmente tiroteios em escolas são comuns por lá, Jennifer Brown escreve maravilhosamente bem!
    O outro livro dela, amor amargo, aborda relacionamento abusivo! E é uma evolução clara da autora. Recomento muito! :D

    viniciustorres.com.br

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e volte sempre!
Deixe seu comentário/opinião; estou muito interessada e ele será respondido assim que possível.
Deixe também seu blog, se tiver, que assim possível farei uma visita :)

Tecnologia do Blogger.