03 abril 2018

Resenha #267: História É Tudo Que Me Deixou - Adam Silvera (Hoo)

Título: História É Tudo Que Me Deixou
Título Original: History Is All You Left Me
Autor: Adam Silvera
Série: ---
Páginas: 336
Ano: 2017
Editora: Hoo
Sinopse: Vem aí, do autor best-seller do New York Times, uma história cheia de tristeza e transtornos mentais sobre as consequências devastadoras que a recusa por abandonar o luto pode desencadear.
Quando o primeiro amor e ex-namorado de Griffin, Theo, morre afogado em um acidente, seu universo implode. Embora Theo tivesse se mudado para a Califórnia para cursar a faculdade e começado a namorar Jackson, Griffin nunca duvidou de que Theo voltaria para ele quando chegasse a hora certa. Porém, o futuro que ele tanto desejava está despedaçado. Para piorar as coisas, a única pessoa que realmente entende sua tristeza é o Jackson. Mas, não importa o quanto eles conversem e se entendam, a espiral depressiva de Griffin continua. Ele está se perdendo em suas compulsões obsessivas e escolhas destrutivas, e os segredos que ele tem guardado o estão consumindo. Se Griffin pretende reconstruir sua vida, ele precisará visitar e confrontar o que viveu com Theo, história por história.


“[...] saiba que eu sinto muito, mas, por favor, não fique bravo comigo por desabafar sobre tudo isto. A história foi tudo o que você me deixou.”

Quando pedi História É Tudo Que Me Deixou, pela sinopse eu sabia que a história seria daquelas doloridas, mas não sabia que iria trazer muita dor e sofrimento nesse coração de gelo.

“[...] ele me afetou de um modo como todo mundo deveria ter a sorte de ser afetado uma vez na vida.”

Theo foi o primeiro de tudo na vida de Griffin - primeiro amor, primeiro namorado, primeira vez, primeira decepção amorosa. Agora ele está morto e Griffin não está sabendo como lidar com a morte da sua pessoa favorita nesse mundo. Junte isso com suas compulsões que a cada dia só pioram.

O livro é narrado por Griffin, em primeira pessoa, alternando entre o passado e o presente. Vamos acompanhando sua vida ao lado de Theo e também sobre o seu luto. As passagens do presente são bem doloridas, pois o luto de Griffin vai mais além de perder o amor da sua vida; ele sente como perdido uma parte sua, já que ele e Theo eram amigos a mais de sete anos.

A escrita do Adam facilita na leitura por ser bem fácil e jovial, mas não tirando o peso da carga dramática da história. Algumas passagens no passado vão te deixar suspirando, eis então que chega o balde de água fria no presente, com passagens dolorosas que você sente no fundo da alma.

Nos capítulos narrados no passado, vemos como Griffin e Theo vão tendo suas primeiras experiências juntos e é impossível não achá-los o casal mais fofo do mundo. Enquanto Theo é bem extrovertido e pra frente, Griffin é seu oposto, sendo o clássico os opostos se atraem. E é por se apegar ao casal que a dor de Griffin se torna nossa dor.

“Abraço-o forte. Abraço-o por ele mesmo, porque ele sabe em primeira mão como o amor e um coração arrasado podem deixar uma pessoa louca e desconfiada. Eu o abraço por você, para que se orgulhe de mim por fazer a coisa certa em vez de dar as costas a ele como na outra noite. Eu o abraço por mim mesmo, porque a sinceridade brutal dele, de algum modo, me poupa de me sentir inútil e derrotado. Abraço-o por todos nós, porque não estamos mais lutando um com o outro”

Pelos olhos de Griffin, vamos acompanhando não só sua história com Theo, mas também com seu amigo Wade e com Jackson, novo namorado de Theo. Os quatro são personagens que irão fazer você sentir emoções contraditórias e isso é um ponto super positivo. Eles são personagens reais, que sofrem, amam e, principalmente, são egoístas em certos momentos da vida. Mas quem não é?


Theo, Jackson e Wade são personagens bem construídos. Dos três, Wade foi o que teve um pouco menos de espaço na história, mas ainda assim o que é mostrado dele faz com que você se apegue ao personagem. Jackson caiu de paraquedas na história de Griffin e Theo e sofre por amar um cara que não sabe desapegar do passado. Theo é um personagem que é mostrado como perfeito pelos olhos de Griffin, mas aos poucos vamos vendo que não é bem assim que a banda toca.

“O que você não entende, Theo, é que o silêncio, às vezes, é melhor do que alguém falando antes de estar pronto. É assim que as mentiras escapam.”

Outro ponto interessante na história é como Adam trata o transtorno obsessivo-compulsivo. Em nenhum momento é verbalizado que Griffin tem a doença, mas somos apresentados às suas compulsões, como sempre andar na esquerda de alguém, os sentimentos que afloram quando algo é feito em números ímpares… Em certos momentos, é extremamente desconfortável e sofrido estar na cabeça de Griffin justamente pela combinação de sua doença com seu luto. Theo era a única pessoa que o fazia se sentir normal e agora se foi. Como superar?

Nos capítulos finais, somos mostrados como realmente aconteceu a morte de Theo e os acontecimentos que antecederam. E quem disse que não rola plot twist? Adam leva a história por um caminho que nunca eu iria imaginar e não poderia pensar em outro caminho possível se não esse.

“As pessoas são quebra-cabeças muito complexos, sempre tentando ter uma noção de conjunto, mas às vezes, entendemos errados e, às vezes, ficamos incompletos. Às vezes, é melhor assim. Algumas peças não podem ser encaixadas à força, ou pelo menos não deveriam, pois não fariam sentido”

A diagramação da Universo dos Livros está a coisa mais fofa. Eu adorei a capa e no início dos capítulos, temos ilustrações marcando o passado (História) e o presente (Hoje). Apesar da fonte ser um pouco menor das que estou acostumada, ela não causa desconforto por causa das folhas amareladas e bem grossinhas até, dando a impressão que o livro é maior do que ele realmente é.

Esse foi o meu primeiro contato com o Adam Silvera e ele conseguiu algo que poucos autores conseguem comigo nas primeiras leituras: levar um escândalo e ainda favoritar. Estou super ansiosa para ler suas outras obras.

História É Tudo Que Me Levou é um livro dolorido e sofrido, mas que você não vai conseguir largar até que chegue ao final.

“Este é o momento do fim. Este é o momento em que desistimos de esperar que o tempo se inverta, quando abandonamos a tentativa de encontrar cura para a morte [...] Mas eu não posso. É adeus para muitos, mas não para mim. Nunca para mim.”

23 comentários:

  1. Oi, Lu
    Eu nunca li um romance LGBT, mas estou tentando evitar histórias com essa carga dramática demais, já basta os livros que tenho lido, por isso vou passar pra frente, porém guardarei a dica pra que possa ler no futuro.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Lu!
    Depois que vi vocês comentando no grupo sobre esse livro, fiquei bem curiosa para ler também. Vi que comentaram sobre outro livro do autor e quero que esses sejam minhas próximas leituras. Apesar de não estar no momento de leituras mais dramáticas, ainda acho que vale a pena.
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir
  3. Oi Lu,

    Não conhecia o livro e nem o autor, mas pelo tema abordado parece ser muto bom.
    Vou colocar na lista de leitura.
    Bjs!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    ResponderExcluir
  4. Oi Lu!
    Como eu ja havia comentado, QUERO MUITO LER só porque adorei essa capa da Universo, mas a história parece muito interessante, fora que todo mundo fala tanto dos livros do Silvera, preciso conhecer a escrita dele também.

    Abraços
    David
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Lu, como você está?
    Eu ainda não li esse livro. Já vi opiniões por aí. Mas não tive oportunidade e tempo de pegar o livro para emitir minhas próprias impressões.
    Espero gostar da leitura tanto quanto você demonstrou gostar.

    Beijos.

    www.alempaginas.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Lu!! Acho esse selo da UDL um luxo!! Mas confesso que não curti a capa rsrsrsrs Se vc que tem um coração de gelo sentiu or, imagina eu!! E acho bacana abordar de alguma forma o TOC, é sempre uma tema interessante!! Vou me preparar pra ler esse livro!

    Bjs, mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  7. Assino embaixo o comentário da Mi! Hahahaha
    Eu tenho que tomar vergonha na cara e ler logo um livro LGBT. Vou te falar que apesar das inúmeras resenhas derretidas que esse livro está recebendo eu não sinto vontade de lê-lo... acho que é porque estou na sofrência, então sofrência com mais sofrência não é legal! Hahhaha

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  8. Nossa, que linda resenha Lu, eu vi a capa deste livro ontem, mais não sabia do que se tratava, a capa é maravilhosa e sua resenha me despertou interesse em ler!

    Beijos Mila
    Daily of Books

    ResponderExcluir
  9. Nossa, eu adorei a sua resenha. Pela capa nunca me chamaria muito a atenção mas a sinopse e a forma como você descreveu. Adoro quando a pessoa tem algum problema mental para desenrolar e assim saber conviver com ele. Não conheço esta editora, ela é nova?

    ResponderExcluir
  10. Olá Luiza,

    Esse é mais um livro que fico conhecendo aqui, achei a premissa muito boa e também gostei da capa, parabéns pela resenha....bjs.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi! Estou me acostumando a encontrar livros com essa temática LGBT, pois tem cada vez mais lançamentos e isso de fato não importa pra mim, e sim a história. Não conhecia este livro ou o autor e achei muito interessante. Gostei de saber que um livro cheio de sentimentos e que é sofrido, ainda que eu seja chorona e do coração mole, sempre gosto de histórias assim! Obrigada!

    Bjoxx – http://www.stalker-literaria.com/

    ResponderExcluir
  12. Lu, li um livro deste autor e terminei em uma poça de lágrimas. Só de ler a sua resenha, eu já senti os olhos arderem e a garganta fechar, então imagino que eu vá chorar muito neste enredo também. A morte me sensibiliza muito e isso unido a peculiaridade do protagonista, só me deixam animadas pra ler o livro porque na verdade, eu amo sofrer... rs.
    Resenha perfeita!!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Nunca li nada do Adam, mas pelo visto ele mandou muito bem nesse drama., só leio elogios. Fiquei curiosa para conhecer um a fundo essa história de Griffin e Theo e essas emoções contraditórias que mencionou. Espero fazer a leitura muito em breve.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oie!

    Irei indicar essa obra para uma amiga com certeza ela irá amar essa história, eu não sou fã do gênero, gostei bastante da proposta da história, mas ela não me fez a cabeça, por isso irei passar a dica, mas noto que foi uma leitura bem pesada emocionalmente!

    Bjss

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Gostei bastante dessa premissa. Estou bem curiosa com os livros do catálogo da Hoo editora, essa trama parece ser bem intensa e adoro leituras que me deixam emocionada.
    Fiquei com vontade de ler.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  16. Oie!

    Eu já li um livro do autor e eu fiquei muito emocionada, porque realmente valeu a pena. O Adam consegue fazer uma história dramática, mas de uma forma sutil. Eu adorei o outro livro e adorei a sua resenha, fiquei realmente interessada em ver um personagem com esse transtorno!

    beijos =)

    ResponderExcluir
  17. Olá, tudo bem?

    Que intensa a premissa que você apreentou! Confesso que não tinha visto nada sobre o livro até o momento, mas me pareceu muito intenso! Confesso também que, no momento, estou evitando um pouco livros com uma carga pesada dramática assim...

    Beijo!

    ResponderExcluir
  18. Olá, não conhecia esse livro e vou te falar uma verdade muito séria, não posso ler esse livro, acredito que não tenho um psicologico muito forte para isso! Mas sua resenha está muito interessante e explicativa.

    beijos,
    Mayara

    ResponderExcluir
  19. No momento eu ando mais do que fugindo de livros doloridos... não estou com um emocional bom para poder lidar com coisas que machucam, e mesmo sabendo que ele morre e tem a coisa toda do luto, ter uma coisa boa de deixar suspiros para depois vir o balde de agua fria não é minha coisa preferida... e ficar pulando entre o passado e o presente tbm não é muito pra mim (mas isso é coisa minha, que prefiro conhecer o que passou antes e depois seguir a história do que ficar indo e vindo).
    Mesmo assim, me pareceu um ótimo livro...
    Beijinhos,
    Lica

    ResponderExcluir
  20. Nossa, com essa resenha, estou sentindo que preciso ler esse livro para ontem. Amo histórias sensíveis, tocantes e que trazem pontos capazes de nos emocionar. Adorei a dica.

    ResponderExcluir
  21. Oi Lu,
    Quando li essa sinopse, quis fazer essa leitura quase que imediatamente, mas quando vi que você - coração de gelo master - chorou com esse livro, fiquei pensando como eu vou sentir. Acho que vou desidratar! Eu adorei conhecer a história pelos seus olhos e fiquei muito curiosa para saber o que envolve a morte de Theo, mas com medo também. Adorei a inserção da questão do TOC no livro também.
    Vou anotar a dica!
    Beijos

    ResponderExcluir
  22. Olá Luiza!!!
    Eu estou um tanto louca para ler esse livro desde de que vi a sinopse do mesmo e fui presa pela mesma.
    Mulher fiquei feliz que o autor sob tratar de um tema de forma não o expondo escancarado, mas trazendo o mesmo pouco a pouco e mostrando como funciona.
    A capa é muito bonita da edição e estou me perguntando que plot twist é esse que aparece no livro.

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e volte sempre!
Deixe seu comentário/opinião; estou muito interessada e ele será respondido assim que possível.
Deixe também seu blog, se tiver, que assim possível farei uma visita :)

Tecnologia do Blogger.