29 março 2018

Resenha #266: Os 27 Crushes de Molly - Becky Albertalli (Intrínseca)

Título: Os 27 Crushes de Molly
Título Original: The Upside of Unrequited
Autor: Becky Albertalli
Série: ---
Páginas: 320
Ano: 2017
Editora: Intrínseca
Sinopse: Molly já viveu muitas paixões, mas só dentro de sua cabeça. E foi assim que, aos dezessete anos, a menina acumulou vinte e seis crushes. Embora sua irmã gêmea, Cassie, viva dizendo que ela precisa ser mais corajosa, Molly não consegue suportar a possibilidade de levar um fora. Então age com muito cuidado. Como ela diz, garotas gordas sempre têm que ser cautelosas.
Tudo muda quando Cassie começa a namorar Mina, e Molly pela primeira vez tem que lidar com uma solidão implacável e sentimentos muito conflitantes. Por sorte, um dos melhores amigos de Mina é um garoto hipster, fofo e lindo, o vigésimo sétimo crush perfeito e talvez até um futuro namorado. Se Molly finalmente se arriscar e se envolver com ele, pode dar seu primeiro beijo e ainda se reaproximar da irmã.
Só tem um problema, que atende pelo nome de Reid Wertheim, o garoto com quem Molly trabalha. Ele é meio esquisito. Ele gosta de Tolkien. Ele vai a feiras medievais. Ele usa tênis brancos ridículos. Molly jamais, em hipótese alguma, se apaixonaria por ele. Certo?
Em Os 27 Crushes de Molly, a perspicácia, a delicadeza e o senso de humor de Becky Albertalli nos conquistam mais uma vez, em uma história sobre amizade, amadurecimento e, claro, aquele friozinho na barriga que só um crush pode provocar.


Enquanto a leitura de Simon vs A Agenda Homo Sapiens foi um pequeno desastre, Os 27 Crushes de Molly foi algo muito amorzinho e divertido.

Creio que meu problema com Simon foi a falta de identificação com os personagens, principalmente com o Simon. Já com Molly, a identificação foi quase que imediata. Molly é gorda e, apesar dela quase sempre estar de bem com seu corpo, ela crê que isso influencie no quesito relacionamento amoroso. Para ela, quem iria querer se envolver com uma garota gorda?

Por muito tempo, eu tive esse mesmo pensamento que Molly. Não, eu não sou gorda; no máximo eu sou uma pessoa que está um pouco acima do peso recomendado para sua altura e saúde. Mas, para alguém que passou boa parte da vida escolar ouvindo todos os tipos de sinônimos para ofender uma pessoa gorda, foi um looooooongo processo de aceitação. E justamente por essas experiências que eu consegui me identificar bastante com Molly e suas inseguranças em relação ao seu corpo. Afinal, quem não tem? Aparências de lado, Molly é uma garota muito fofa, amorzinho, mas com a língua bem afiada e um senso de humor incrível. Fácil fácil seríamos amigas.

Quando começa em seu emprego de verão, ela conhece o filho dos donos da loja, Reid. Nem preciso dizer que Reid virou meu crush também. Um nerd de carteira assinada, é bem perceptível o interesse dele em Molly desde o início, mas a sua insegurança faz com ela demore a perceber. Os dois juntos são bem cute cute, amorzinhos, de deixar você de coração quentinho com seus diálogos.


Assim como em Simon, Molly (eu me recuso a chamar esse título completo) exala diversidade. Temos personagens negros, bissexuais, pansexuais, judeus.. E é muito interessante como a Becky trabalha essas nuances dos personagens sem focar nelas direto. Algo do tipo “eles são o que são e isso não deveria ser a marca deles nesse mundo”.

Um ponto que amei aqui foi justamente o que achei que faltou em Simon: o desenvolvimento dos personagens secundários. Achei que os desse livro tiveram um maior destaque e participação se comparado com o outro livro. Eu sei que é péssimo ficar fazendo essas comparações, então me perdoem e não desistam de mim. Enfim… a família da Molly é toda maravilhosa, exceto pela irmã gêmea dela, Cassie, que me estressou em certos momentos mas a gente releva.

A escrita da Becky continua bem fluída e envolvente. Você se senta pra ler um capítulo rapidinho e acaba lendo dez, se atrasando para o serviço. Sim, experiência própria. E para os que estão com saudades das histórias da Becky, mês que vem ela vai lançar um novo livro. Leah on the Offbeat é focado em Leah (dã!), melhor amiga de Simon. Particularmente estou bem ansiosa por esse livro justamente por focar na Leah, que é uma personagem que sei vários nadas. Só nos esperar que a Intrínseca faça lançamento simultâneo.

Leah Burke - baterista de banda de garotas, mestre de impassibilidade, e a melhor amiga de Simon Spier do premiado Simon vs. A Agenda Homo Sapiens - ocupa o centro do palco neste romance de primeiro amor e angústia do último ano.
Quando se trata de tocar bateria, Leah Burke geralmente está no ritmo - mas a vida real nem sempre é tão rítmica. Uma anomalia em seu grupo de amigos, ela é a única filha de uma mãe solteira e sua vida é decididamente menos privilegiada. Ela adora desenhar, mas é muito autoconsciente para mostrar isso. E mesmo que sua mãe saiba que ela é bissexual, ela não reuniu coragem para contar a suas amigas - nem mesmo a seu amigo abertamente gay, Simon.
Então Leah realmente não sabe o que fazer quando seu grupo amigo de rock começa a se quebrar de formas inesperadas. Com o baile e a faculdade no horizonte, as tensões estão em alta. É difícil para Leah atingir a nota certa enquanto as pessoas que ela ama estão lutando - especialmente quando ela percebe que pode amar uma delas mais do que ela pretendia.

12 comentários:

  1. Oi Lu!
    Ainda não terminei a leitura, mas acho que vou sair com uma impressão semelhante a sua. Eu amo a Molly e o Reid. Gostei muito mais dele do que do outro menino, que achei muito banal. E sim, a irmã dela também me irrita, principalmente quando ta tomando decisões por ela sem nem consultar. Isso me irrita muito e ta fazendo a personagem perder altos creditos comigo. Mas no total, to amando. Amando muito, porque me identifico muito com a Molly. Vou acabar sofrendo.

    Abraços
    David
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E sobre o livro da Leah, medo do titulo que a Intrínseca vai da. Porque o da Molly pelo amor de Jesus! UMA BOSTINHA

      Excluir
  2. Oi Luiza, tudo bem?
    Sempre vejo sobre esse livro e nunca tinha lido nenhuma resenha sobre, curti, gostei da premissa e acho que irei curtir a leitura. Uma pena não ter gostado tanto da leitura de Simon, mas ótimo que esse te encantou! Gostei da resenha!

    Obrigada pelo carinho. Volte sempre!
    Um super beijo :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir
  3. Oi, Lu!
    Esse livro é a minha leitura atual e apesar de estar bem no comecinho eu também já me identifiquei com a Molly em vários aspectos e já estou amando muito! Gostei muito da escrita da Becky e vou fazer questão de acompanhar de perto os futuros lançamentos da autora!
    Beijos,
    http://ofantasmaliterario.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Amei a resenha, ele esta na minha lista só que fico passando livros na frente dele kk
    A Molly parece ser uma personagem muito fácil de gostar.
    Beijos
    lolamantovani.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Fiquei curiosa com o livro, por todas peculiaridades dele que você citou... Eu sou gorda, muito mais que alguém levemente acima do peso ideal, então acho que vou me identificar com a protagonista!

    Jaci
    Uma Pandora e Sua Caixa

    ResponderExcluir
  6. Parece ser uma leitura bem agradável.

    Tem sorteio novo la no blog, te convido a participar! http://www.cobaiaamiga.com/2018/03/resumo-da-semana-sorteio-makes.html

    ResponderExcluir
  7. Oi, Lu
    Por que que quando tem personagens gêmeos um deles geralmente é um nojo? Tirando meus maravilhosos Fred e Jorge, claro.
    Eu nunca pensei em ler essa obra, acho que a obra me passou outra história, mas aí li sua resenha e quebrei a cara. É claro que eu quero ler!! Vou adorar conhecer Molly e os crushs dela haha
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Lu, não me julgue, mas ainda quero ler o livro do Simon hehehehehehe mas confesso que o da Molly tem uma tema que me chama mais atenção por conta da identificação com o personagem. Fico feliz que tenha curtido, está na minha lista de leituras!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  9. Oieee, que saudade *_*
    olha, eu ainda não li esse livro, acredita?
    eu ando amando demais livros cheio de temas polêmicos assim, ahahaha,esse tipo de coisa precisa ser falado. são temas que muitas pessoas já vivenciaram *_*
    obrigada pela resenha incrível de sempre!
    miss you.


    beeijão
    https://bookelandia.blogspot.com.br/
    https://floreiacarol.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi, Lu

    Ainda não superei o quão ridículo é o nome desse livro... mas vamos lá.
    Também sofri muito com apelidos e sarros. Eu sofria um bullying cruel!
    Eu acho a proposta do livro ótima e adorei que há diversidade na história, mas não curto muito YA... é difícil algum chamar minha atenção.

    Beijos
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  11. Oi Lu! Todo mundo elogia as obras da autora e ainda não consegui ler nenhum dos lançados aqui, mas pretendo ler Simon por causa do filme. Se gostar, leio esse. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e volte sempre!
Deixe seu comentário/opinião; estou muito interessada e ele será respondido assim que possível.
Deixe também seu blog, se tiver, que assim possível farei uma visita :)

Tecnologia do Blogger.