06 fevereiro 2018

Resenha #251: O Cobiçado Rohan Sen - Mari Scotti

Título: O Cobiçado - Rohan Sen
Título Original: ---
Autor: Mari Scotti
Série: O Cobiçado #1
Páginas: 414
Ano: 2016
Editora: Independente
Sinopse: Vinte e quatro mulheres à sua disposição. Um coração incapaz de ceder.
Rohan Sen é um solteirão convicto, vocalista da Four River, uma banda de rock conhecida internacionalmente. Galã nas horas vagas (e nas ocupadas também), desistiu do romantismo após ser largado no altar em rede nacional.
Tudo estava bem, até que foi convidado para ser o astro de "O Cobiçado", um novo reality show.
Aillen Kern encontrou na voz rouca de Sen, um bálsamo para as dores da perda. Após a morte de seu noivo, ela se entregou ao luto, trancando seu coração, mas não o seu amor pela música.
Só não esperava ter a chance de conhecer seu ídolo, um dia. Menos ainda participar de um programa em busca de um novo amor, algo que ela decidiu nunca mais procurar.
Encontrar o amor em um programa de TV parece improvável, mas a vida pode surpreender.


O Cobiçado é o mais novo reality show da RPTV. Vinte e quatro mulheres disputam a atenção, carinho, afeto - e quem sabe - o coração de um astro. Nessa primeira temporada, elas irão tentar conquistar o vocalista da banda Four River, Rohan Sen. Será que alguma delas vai conseguir esse feito em quatro semanas?

Por conta de uma decepção amorosa, Rohan se fechou para relacionamentos. Ele passa uma imagem de artista mulherengo justamente pelo medo de se machucar novamente. Debaixo de toda essa máscara, existe um cara leal, carinhoso e extremamente dedicado a quem ama. Destaque para a relação com dona Noêmia, sua mãe. Noêmia está disposta a não ter ser filho magoado novamente, mas também dá umas sacolejadas nele pra ver se acorda pra vida e não que deixe o seu passado interferir em sua felicidade futura.

Aillen foi uma personagem que me trouxe sentimentos conflituosos. Gostei muito do fato dela ser sincera e honesta com todo mundo, principalmente durante a competição. Diferente das outras garotas, ela estava ali na tentativa de ajudar seus pais e também realizar o sonho de ser uma cantora reconhecida. A lealdade de Aillen com as pessoas é um dos pontos fortes, mas também foi o que me trouxe sentimentos conflituosos.


Aillen perdeu o noivo um pouco antes do seu casamento e, após três anos, ainda se manter firme numa promessa de não se envolver com mais ninguém. Em certos momentos, eu achei essa atitude da Aillen muito extrema e não é pelo fato de que tenho um gelo no lugar do coração. Na minha concepção, creio que o noivo dela não iria querer vê-la vivendo uma meia vida, não tentar seguir em frente depois da sua morte. Pois foi assim que Aillen viveu nos últimos três anos; com medo de que sua felicidade (seja ao lado de outra pessoa ou não) fosse uma desonra (pra tu, pra tua família, pra tua vaca) à lembrança do noivo. Achei interessante esse conflito da Aillen e do Rohan serem um tanto parecidos: ambos não queriam se envolver com ninguém.

Eu já havia me interessado por esse livro muito antes da parceria com a Mari. Eu lia essa resenha e ficava me questionando “gente, como é que isso vai funcionar?”. Bom, funcionou muito bem, obrigada. Mari trabalho muito bem tanto o conceito da história, quanto os protagonistas e (se não principalmente) os personagens secundários.

Imaginem só dar voz às mulheres competição, que são completamente diferentes? Cada uma teve seu caráter e personalidade moldados unicamente e em nenhum momento há alguma confusão entre uma e outra. Outro lado legal foi os bastidores do reality show. As narrações em certos momentos, me remetia à série UnREAL (que recomendo muito).

Os companheiros de banda de Rohan roubam a cena. Adorava quando apareciam, principalmente para dar opiniões, principalmente metendo o bedelho nas decisões do Rohan referente à competição. A parceria entre eles ultrapassa os palcos e holofotes.

A escrita da Mari faz com que a história te envolve, fazendo com que seja uma leitura bem prazerosa e viciante. A narração é feita em terceira pessoa, alternando entre Aillen e Rohan, o que foi muito de meu agrado ver o lado dos dois nessa história. Os últimos capítulos já dão brecha para o próximo, que estrelará Adam Olivier, guitarrista da Four River. Só sei que meu corpo está mais que preparado para essa nova temporada de emoções de O Cobiçado.

17 comentários:

  1. Oiii Lu

    AInda não li nada da Mari mas tenho a primeira parte dos Nefilins no meu kindle. A história do Cobiçado Rohan Sen parece mesmo ser bem envolvente, o tipo de livro que se lê rápido e deixa uma sensação boa ao terminar. Adoraria conferir futuramente.

    Beijos


    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Lu! Tudo bem?

    Não conhecia a autora e nem o título, mas senti que a história tem um astral diferente e é o tipo de livro que eu me aventuraria. Gostei da resenha!

    Grande abraço!
    www.cafeidilico.com

    ResponderExcluir
  3. Oi, Lu.
    Foi meu primeiro livro que li da Mari, e sim, eu adorei também. Achei meio A seleção, mas nada a ver né? Eu curti muito o romance, esse fato de ter tantas outras meninas atrás do Rohan, mas também achei que esse empaco da Aillen por causa do noivo muito chato. Eu sou daquelas que não gostam muito do mimimi, pra mim tem que seguir em frente e pronto. Mas mesmo assim quero muito ler os demais que vierem, aliás, espero que venham!
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com

    ResponderExcluir
  4. Oie,

    não conhecia o livro, mas me interessei pela resenha.

    Abraços...

    submundosliterarios.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá, Luiza.
    Estou ansiosa para ver o que a Mari vai aprontar na continuação dessa série. Apesar de não ter amado o livro porque infelizmente não consegui acreditar que eles se amavam, atraídos sim, mas amor não, Eu gostei muito da história. E a Mari como sempre arrasa na escrita.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  6. Oi! Não conhecia o livro nem a autora, mas me lembrou bastante A Seleção. :)

    Beijo!
    www.controversos.com

    ResponderExcluir
  7. Imagino que seja mesmo uma leitura prazerosa e viciante, amei demais sua resenha. Ainda não conhecia mas já coloquei na minha lista :D

    https://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Me lembrou um pouco "A Seleção", mas alguma coisa me diz que é melhor! Fiquei curiosa sim com o livro, alias a Mari Scotti é uma autora que vivo com vontade de ler. Ainda não li uma resenha ou comentário negativo sobre os livros dela.

    ResponderExcluir
  9. Que livro diferente! Gostei de conhecer, mas acho que não seria uma leitura legal pra mim agora. Talvez mais pra frente eu possa me aventurar hahha

    Beijos
    Próxima Primavera

    ResponderExcluir
  10. Oii Lu, já fiquei curiosa para ler, ainda mais por ter essa pegada de reality show e eu amo isso hahahaha
    -Beijos,Carol!
    http://entrehistoriasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Lu, eu ainda estou lendo e fico feliz que tenha funcionado essa história toda porque eu confesso que ainda estou me perguntando como é que vai rolar esse romance hehehehehe mega curiosa!!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  12. Olá!!!!
    Adoro a temática de reality show! Acho bem interessante os conflitos e as relações que surgem a partir disso.. adorei sua resenha e me deu vontade de ler
    Beijinho
    eventualobradeficcao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oi
    eu acho que tenho esse e-book, tenho que dar uma olhada aqui, mas ele parece ser bem legal, acho interessante a ideia de um reality show em um livro e quero ver como isso acontece no papel, deve ter muita desavença entre a mulherada. Que bom que gostou da leitura.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oi Lu, tudo bom?
    Eu amei tanto essa leitura que aaaaaaaa. Meu único problema com ela foi o Rohan. Se tivesse morrido eu ficava feliz :P macho chato dos infernos UHUHASUHASUHASUH
    Aillen é boa demais pra ele.
    O reality show e as personagens secundárias foram maravilhosos, tô morrendo de ansiedade pelo segundo volume! Quero ver como vai ser a competição pelo coração do Adam.

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  15. Toda vez que leio alguém comparando com "A seleção" eu me pergunto se ninguém percebeu que lá é uma distopia e aqui só romance mesmo hahaha. Acho que eu li "A seleção" pensando em distopia, daí não consigo enxergar muitas semelhanças além do fato de ser um grupo de mulheres disputando um cara kkkk.
    Luiza, adorei sua opinião! Como vc citou que tomei cuidado com a personalidade que cada pessoa, eu acredito que tomei cuidado em ser fiel à personalidade da Aillen também e por isso ela é irritante. Enquanto escrevia queria dar uns bons supapos nela também e, confesso, quase joguei ela pro Adam, falei um "dane-se" e mudei o rumo das coisas. Mas, ela não deixou AUHAUAHUAH.
    Desculpa a bíblia! Tem resenhas que me fazem sentir próximas do resenhistas e fico com vontade de conversar.
    Obrigada pelo carinho de ler e ainda contar o que achou! Espero que o Adam te surpreenda.
    Beijocas, Mari

    ResponderExcluir
  16. Oii Lu! Tudo bom?
    Como eu adoro essa temática de reality show, acho que o livro seria beeem o meu tipo! Vou procurar esse livro o quanto antes!

    https://sonhoinverossimil.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Oi Lu!
    Não conhecia o livro, mas morro de vontade de conhecer a escrita da Mari. Só vejo elogios ótimos a respeito. Sobre a trama, me chamou a atenção, mas não sei se leria no momento.
    Beijos

    www.lendoeapreciando.com

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e volte sempre!
Deixe seu comentário/opinião; estou muito interessada e ele será respondido assim que possível.
Deixe também seu blog, se tiver, que assim possível farei uma visita :)

Tecnologia do Blogger.