22 junho 2016

Especiais do Babado #8: São João do Maranhão


Uma das épocas que mais espero no ano é o mês de junho com seu São João. Pra mim, essa festa ganha de dez em cima do carnaval. Fora que é uma das maiores festas que meu estado oferece.

Então, dia desses eu estava relembrando que, todo ano na escola, eu tinha de fazer um trabalho sobre São João, tive a grande ideia de trazer pra vocês alguns aspectos dessa festa linda que conta com muita dança e muita comida. Já aviso que o post vai ser meio grande, mas vai valer a pena. Tem alguns vídeos, que podem ser meio grandinhos, mas que também vale a pena assistir.

Bumba meu boi do Maranhão

A festa do Bumba-meu-boi, é uma tradição que se mantém desde o século XVIII, que arrasta maranhenses e visitantes por todos os cantos de São Luís, nos meses de junho e julho. O bumba-meu-boi é uma festa para crianças, adultos e idosos, onde os grupos se espalham desde as periferias até os arraiais do centro e dos shoppings da ilha. Na parte nova ou antiga da cidade grupos de todo o Estado se reúnem em diversos arraiais para brincar até a madrugada.

O enredo da festa do Bumba-meu-boi resgata uma história típica das relações sociais e econômicas da região durante o período colonial, marcadas pela monocultura, criação extensiva de gado e escravidão. Numa fazenda de gado, Pai Francisco mata um boi de estimação de seu senhor para satisfazer o desejo de sua esposa grávida, Mãe Catarina, que quer comer língua. Quando descobre o sumiço do animal, o senhor fica furioso e, após investigar entre seus escravos e índios, descobre o autor do crime e obriga Pai Francisco a trazer o boi de volta.

Coquitéis e curandeiros são convocados para salvar o escravo e, quando o boi ressuscita urrando, todos participam de uma enorme festa para comemorar o milagre. Brincadeira democrática que incorpora quem passa pelo caminho, o Bumba-meu-boi já foi alvo de perseguições da polícia e das elites por ser uma festa mantida pela população negra da cidade, chegando a ser proibida entre 1861 e 1868.

O atual modelo de apresentação dos bois não narra mais toda a história do 'auto', que deu lugar à chamada 'meia-lua', de enredos simplificados. Atualmente, existem quase cem grupos de bumba-meu-boi no Estado do Maranhão subdivididos em diversos sotaques. Cada sotaque tem características próprias que se manifestam nas roupas, na escolha dos instrumentos, no tipo de cadência da música e nas coreografias.

Se vocês souberem o quanto de sucesso fazem esses índios (tem mais alguns no vídeo lá embaixo) 





Cacuriá

O cacuriá é uma dança típica do estado do Maranhão, no Brasil, surgida como parte das festividades do Divino Espírito Santo, uma das tradições juninas. A dança é feita em pares com formação em círculo, o "cordão", acompanhada por instrumentos de percussão chamados caixas do Divino (pequenos tambores).
No final da Festa do Divino Espírito Santo, após a chamada derrubada do mastro, as caixeiras do carimbó podem descansar. É neste momento que elas passam à porção profana da festa, com o cacuriá. A parte vocal é feita por versos improvisados respondidos por um coro de brincantes. O ritmo é uma derivação do carimbó maranhense.
Inicialmente, o cacuriá era praticado unicamente com as caixas, mas aos poucos foi-se acrescentando outros instrumentos, como banjo, violão, clarinete e flauta.
A representante mais conhecida do cacuriá é Dona Teté do Cacuriá, uma percussionista maranhense muitas vezes creditada como uma das criadoras do ritmo e considerada responsável pela introdução dos novos instrumentos.

O povo de Sense8 ia AMAR essa dança



Tambor de crioula

Tambor de crioula ou punga é uma dança de origem africana praticada por descendentes de escravos africanos no estado brasileiro do Maranhão, em louvor a São Benedito, um dos santos mais populares entre os negros. É uma dança alegre, marcada por muito movimento dos brincantes e muita descontração.

Os motivos que levam os grupos a dançarem o tambor de crioula são variados podendo ser: pagamento de promessa para São Benedito, festa de aniversário, chegada ou despedida de parente ou amigo, comemoração pela vitória de um time de futebol, nascimento de criança, matança de bumba-meu-boi, festa de preto velho ou simples reunião de amigos.

Não existe um dia determinado no calendário para a realização da dança, que pode ser apresentada, preferencialmente, ao ar livre, em qualquer época do ano. Atualmente, o tambor de crioula é dançado com maior freqüência no carnaval e durante as festas juninas. A Lei nº 13.248 de 12 de janeiro de 2016 estabeleceu a data de 18 de junho como o dia do Tambor de Crioula .

A dança não requer ensaios. Originalmente não exigia um tipo de indumentária fixa, mas nos dias atuais a dança pode ser vista com as brincantes vestidas em saias rodadas com estampas em cores vivas, anáguas largas com renda na borda e blusas rendadas e decotadas brancas ou de cor. Os adornos de flores, colares, pulseiras e torços coloridos na cabeça terminam de compor a caracterização da dançante. Os homens trajam calça escura e camisa estampada.

A animação é feita com o canto puxado pelos homens com o acompanhamento das mulheres. Um brincante puxa a toada de levantamento que pode ser uma toada já existente ou improvisada. Em seguida, o coro, integrado pelos instrumentistas e pelas mulheres, acompanha, passando esse canto a compor o refrão para os improvisos que se sucederão. Os temas, puxados livremente em toadas, podem ser classificados como de auto-apresentação, louvação aos santos protetores, sátiras, homenagem às mulheres, desafio de cantadores, fatos do cotidiano e despedida.

A coreografia da dança apresenta vibrantes formas de expressão corporal, principalmente pelas mulheres que ressaltam, em movimentos coordenados e harmoniosos, cada parte do corpo (cabeça, ombros, braços, cintura, quadris, pernas e pés). As dançantes se apresentam individualmente no interior de uma roda formada por um grupo de vários brincantes, incluindo dirigentes, dançantes, cantadores e tocadores. Da roda, participam também os acompanhantes do tambor. Todos acompanham o ritmo com palmas.

A dança apresenta uma particularidade: a punga. Entre as mulheres, se caracteriza como um convite para entrar na roda. Quando a brincante está no centro e quer sair, avança em direção a outra companheira, aplicando-lhe a punga, que consiste no toque com a barriga. A que estiver na roda vai para o centro para continuar a brincadeira.



Comidas Típicas 

Melhor parte do São João. O bom é que, aqui, não precisamos esperar o São João para comer #yay É uma mais gostosa que a outra. Abaixo, as mais famosas. Cliquem nas fotos para ser direcionado pra receita.

Bolo de Macaxeira
Bolo de Tapioca
Arroz de Cuxá
Manuê
Arroz Maria Isabel
Mingau de Milho 
Peixe Frito
Torta de Camarão
Torta de Caranguejo
Fontes: Bumba meu boi, Cacuriá, Tambor de Crioula

18 comentários:

  1. Oie,
    nossa deve ser uma festa bem legal. Ainda não conheço o Maranhão, mas tenho vontade.
    Adorei as comidas típicas,deve ser uma delicia

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  2. Nossa que evento lindoo! Deve ser emocionante acompanhar de perto né! Infelizmente na minha cidade não tem nada comemorativo, então fico só observando mesmo! ótimo post!

    http://www.leitorasvorazes.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Sempre assisto pelo YouTube festas com o Bumba Meu Boi. Acho uma expressão cultural maravilhosa. Um dia ainda poderei estar nessa festa. *O*
    Adorei a postagem. Amo conhecer um pouco mais sobre a cultura de outros estados.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de junho. Serão quatro livros e dois vencedores!

    ResponderExcluir
  4. Excelente essa postagem, sempre muito bom participar de eventos assim.
    http://revelandosentimentos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Lu, sua linda, tudo bem?
    Eu acho essas festas fantásticas, aqui em minha cidade não temos nada disso. Adorei conhecer o significado do bumba meu boi e as danças típicas. Sua postagem ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Lu a festa deve ser maravilhosa, fiquei encantada agora. Gostaria muito de ir! haha
    Amei, beijos. Jardim de primavera

    ResponderExcluir
  7. Oiiii
    Que legal, amei conhecer um pouquinho do São João do Maranhão!

    Bjooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Amei saber das festividades, eu amo essa época do ano por causa da festa junina e as comidas quentinhas e gostosas.. hehe
    Excelente post, eu adorei.
    Beijos. ♥

    Diário da Lady

    ResponderExcluir
  9. Olá Lu,
    AMOO essa época de São João, acho as comidas deliciosas e adoro essa nossa cultura. Não conhecia como as coisas aconteciam em São João, mas achei muito bacana.
    Menina, que indios são esses? Deu até calor hahahah
    Beijos ♥
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  10. Oie,
    Sou doida para conhecer essa festa (um dia talvez).
    Adorei o post, muito bom saber um pouco mais sobre a sua cultura. E guria, que comidas são essas? Meus olhos até cresceram. Quero provar tudo!

    Beijos,
    Juh
    http://umminutoumlivro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Oi Lu, tudo bem?
    Como as coisas mudam de um estado para o outro né? Aqui nesta época, a gente dança quadrilha, faz casamento na roça, come pinhão, pipoca, toma quentão....
    Quero dizer, os outros fazem :P
    Hoje eu como chocolate, olho netflix e durmo kkkkkk
    Mas achei o máximo sua postagem. É sempre bacana conhecer um pouco mais a cultura de outros lugares do nosso país :)
    Beijooos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi Luh, eu me lembro também da época da escola onde tínhamos que fazer pesquisar e tudo mais. Gostei do seu post. Acho muito legal conhecermos mais a fundo coisas que fazem parte da nossa cultura. Como moro no estado de São Paulo o contato que eu tive com tudo isso, não foi tão forte e muita coisa do que eu li, eu não sabia.

    p.s. A parte que mais me prendeu foi a comida #tenhoalmadegordo kkk
    Beijos

    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  13. Essas festas devem ser demais, é compreensível sua ansiedade pela chegada da época hahah aqui na minha cidade na época de festa junina temos mais o básico, e eu sou fresca e não gosto de nenhuma das comidas :( mas espero que você aproveite bastante esse ano!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Nossaaaaaaa! Aquele orgulho de ser nordestina bate forte nessa hora!!! Nossa cultura, nossas raízes e nossos festejos em suas peculiaridades! Eu sou pernambucana então aqui o São João está pegando fogo literalmente hahahah adorei passear pelo São João do Maranhão!

    Pandora
    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  15. Eta quanta comida boa, chega deu uma vontade de ir pra ai <3

    Beijos,
    http://o-hyeah.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Oi Lu, tudo bem???
    Eu morei 17 anos em Floriano-PI, então sei bem do que está falando... realmente São é a melhor festa do mundo inteiro... Carnaval pra quê?? Porque?? Rs. Eu dancei muitos anos quadrilha e viajava para dançar e concorrer nos arraiais... época muito boa por sinal, que eu tenho lembranças maravilhosas... Chegava mês de Maio e os preparativos já haviam começado, era muito bom... as danças típicas também fizeram parte da minha vida... dancei bumba meu boi, pau de fita a lenda do cabeça de cuia e tudo mais... as comidas típicas que são uma beleza... sinto uma imensa saudade dos manuês... e bolo de mandioca... delicinhas... adorei a postagem.... tive um verdadeiro dejavú... Xero!
    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Deve ser muito lindo o espetáculo. Além de ter muita comida boa, confesso que tem umas aí que não conhecia, mesmo assim fiquei com vontade de provar.
    Beijos
    https://recolhendopalavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Oi, Luiza!
    Anarriê para vocÊ, menina!
    E olha adorei o posto e saber mais sobre o 'seu' São João, até porque eu sempre quis participar da festa do Bumba Meu Boi. Um dia ainda viajo pra sua terrinha para ver isso de perto.
    E o bolo de aipim (que para vocês é macaxeira), hein? Amo sem fim! Fiquei surpreso por saber que o peixe e as tortinhas salgadas fazem parte das comidas típicas. Aqui o milho, o bolo de laranja, amendoim, canjica, etc fazem parte dos alimentos da festa.

    Boas festas para ti.
    Bjão.
    Diego, Blog Vida & Letras
    www.blogvidaeletras.blogspot.com

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e volte sempre!
Deixe seu comentário/opinião; estou muito interessada e ele será respondido assim que possível.
Deixe também seu blog, se tiver, que assim possível farei uma visita :)

Tecnologia do Blogger.