17 maio 2016

Resenha #55: If I Was Your Girl - Meredith Russo (Flatiron Books)

Título: If I Was Your Girl
Título Original: ---
Autor: Meredith Russo
Série: ---
Páginas: 288
Ano: 2016
Editora: Flatiron Books
Sinopse*: Um romance sobre ser visto por quem você realmente é.
Amanda Hardy é a nova garota na escola. Como qualquer outra pessoa, tudo que ela quer é fazer amigos e se encaixar. Mas Amanda está mantendo um segredo. Ela está determinada a não se aproximar de ninguém.
Mas, quando ela conhece o doce Grant, Amanda não pode evitar de deixá-lo se aproximar. quando mais tempo eles passam juntos, ela percebe quanto ela é baixando a guarda do seu coração. Ele se encontra desejando compartilhar com Grant tudo sobre ela - incluindo seu passado. Mas Amanda está com medo de, uma vez que ela conte a verdade para ele, ele não seja capaz de ver além disso.
Porque o segredo que Amanda vem guardando? É que ela costumava ser Andrew.
Será que a verdade vai custar a nova vida de Amanda - e seu novo amor?
If I Was Your Girl é uma história universal sobre se sentir diferente - e uma história de amor que todos vão torcer.


Leia a resenha em inglês aqui. (Read this review in English here)

No intercâmbio literário desse mês, havia um lançamento que me chamou atenção mais que todos os outros. Esse lançamento era If I Was Your Girl, livro de estreia da autora Meredith Russo. Achei a premissa da história completamente diferente e muito atual. Apesar das zilhões de leituras, eu devorei esse livro nesse final de semana e hoje trago a resenha.


Amanda Hardy acabou de mudar de escola e tudo que deseja é fazer amigos. Porém um segredo do seu passado a impede de se aproximar muito das pessoas. Quando ela conhece Grant Everett, Amanda não consegue evitar que ele entre na sua vida. Porém, ela está apavorada que ele descubra seu segredo: Amanda costumava ser Andrew.

O livro é narrado em primeira pessoa por Amanda. Alguns capítulos contêm passagens de quando Amanda era Andrew e é bem visível o quanto ela sofria. Sofria por estar presa no corpo de um menino, sofria por conta dos pais - que não a entendiam -, sofria por conta do bullying. Mesmo depois que seu corpo virou Amanda, ela ainda sofria por conta do medo das pessoas descobrirem seu passado e o que podiam fazer com ela, caso descobrissem. Porém, ela não se deixava entregar e fazia de tudo para ter uma vida normal como qualquer adolescente.

Quando cheguei ao final do livro, cheguei a conclusão que essa não é uma história de uma garota transgênero e um menino que se apaixonam e tentam romper o preconceito sobre a relação. Essa é uma história sobre se aceitar como você é e encontrar a felicidade que você merece. Não importa se você é cis**, hetero, gay, lésbica, transgênero, você continua sendo uma pessoa normal como qualquer ser humano e merece ser feliz.

Uma onda de vertigem tomou conta de mim. Debrucei-me contra a parede e agarrei uma estante próxima. Minhas bochechas machucavam e meus olhos estavam começando lacrimejar novamente, mas parecia diferente.
- Você está bem? - mamãe perguntou, andando atrás de mim.
- Eu acho que posso ser alérgica ou algo assim. Eu me sinto meio estranha ... tipo flutuando e tonta.
-Você não está doente, querida - disse mamãe. Ela beijou meu rosto e me abraçou tão apertado que eu pensei que eu poderia quebrar uma costela. - Isso é alegria.*

Durante algumas pausas na leitura, eu estava me atualizando em Penny Dreadful e teve uma certa fala que me remeteu a todo esse assunto: as pessoas tem medo do que não entendem e por isso atacam. Quantas pessoas nessa situação sofrem ataques violentos, chegando a nem sobreviver, por conta do preconceito e do não-entendimento? Eu sei que o que acontece na vida real é bem pior do que algumas situações do livro, mas ainda assim eu acho importante vermos o outro lado. Eu nunca irei entender o que uma pessoa tipo Amanda passa, mas, a partir desse livro, percebemos que não é fácil.

Quanto ao romance entre Amanda e Grant, achei muito fofo com foi desenvolvida a relação entre os dois. Grant é muito amorzinho, engraçado e super cuidadoso com a família. A interação entre os dois arrancava sorrisinhos bobos de mim.

Outra relação que gostei foi de Amanda e seu pai. Ela poderia ter sido mais explorada, mas pelo que apareceu na história, foi bonito ver a reconciliação entre os dois. Não me matem, mas me lembrou um pouco a relação da Bella (Crepúsculo) com Charlie, seu pai. No início, eles eram dois estranhos que dividiam uma casa e, ao final da saga, percebemos o quanto mudou a relação e para melhor: virou uma relação de pai e filha de verdade. Assim que senti sobre Amanda e seu pai.

No fim do livro, Meredith escreve um recadinho tanto para seus leitores cisgênero quanto trans, explicando alguns detalhes da história. Eu achei que ela poderia ter explorado mais alguns aspectos, mas, para um livro de estreia e com um tema nesse estilo, achei que ela foi bem.

Espero muito que esse livro seja publicado aqui no Brasil porque todos devem conhecer essa história que trata de amizade, aceitação e a busca pela vida normal e felicidade.

Curiosidades sobre o livro:
- a autora é transgênero e o livro foi baseado em algumas de suas experiências
- a modelo da capa também é transgênero.

[ATUALIZAÇÃO 18/05] Eu entrei em contato com a autora e ela disse que o livro será sim publicado aqui, mas não sabe quando. Vamos torcer para que seja logo #yay

*Traduções feitas por mim

**Cisgênero: termos utilizados para se referir às pessoas cujo gênero é o mesmo que o designado em seu nascimento. Isto é, configura uma concordância entre a identidade de gênero e o sexo biológico de um indivíduo e o seu comportamento ou papel considerado socialmente aceito para esse sexo. (Fonte: Wikipédia) Ou seja, você se identifica com o sexo biológico que nasceu.

21 comentários:

  1. Gostei do tema. É forte. Algo que tira a pessoa da zona de conforto. Gostei disso. Realmente não deve ter sido fácil a vida dessa garota (posso dizer que é) e o que a fez sobreviver. E o cara a aceitar mesmo sabendo o que se passa é ainda mais bonito. Tudo é uma questão de conhecimento e escolha nada mais. O preconceito advém de onde não se tem informação ou pelo simples fato de querer ser ignorante quanto ao assunto. Amei a resenha.

    www.primeiras-impressoes.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Lu,

    Eu também quero este lançamento aqui, espero que não demore, o tema é forte né, mas é o tipo de livro que gosto, cheio de emoções, descobertas..
    Haaa, adoro a relação Bella e Charlie, aliás eu adoro demais Crepúsculo!!
    Eu gostei muito da sinopse do livro, dá aquele impatco quando chega ao final e tem aquela descoberta!

    Beijos Mila
    Daily of Books

    ResponderExcluir
  3. Esse livro aborda um tema bastante debatido atualmente.

    www.paginasempreto.blogspot.com.br

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oioi! Adoro livros que têm temas fortes, vamos aguardar e cruzar os dedos para que ele seja lançado aqui né?

    Beijo grande
    eventualobradeficcao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. O único problema desses intercâmbios seus maravilhosos é que eu ainda não leio em inglês kkk
    Fico aqui só na torcida pra chegada desses livros no Brasil :3
    ❥Blog: Gordi
    ces Literárias

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Acho que nunca li nada parecido com o tema abordado nesse livro.
    Achei bem forte a premissa e a autora foi corajosa em abordar isso em seu livro.
    E concordo muito quando vc disse que as pessoas têm medo do que não entendem e por isso atacam...o que tá faltando é educação, as pessoas precisam entender que ninguém é igual a ninguém...cada um sabe a maneira que o faz ser feliz, e ninguém deve julgá-lo por isso...

    Gostei muito do livro e da sua resenha.
    Vou procurá-lo.

    Beijos, Bá.
    http://cafecomlivrosblog.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oie!!
    Indiquei uma tag para o seu blog flor.
    Beijinhos

    http://quantomaislivrosmelhor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Gostei muito do livro ser escrito por uma transgênero, com personagem e modelo da capa também serem, deixa a obra mais especial no tema abordado, que é muito atual mesmo e fora que fiquei com a sensação que o quote de Penny Dreadful consegue resumir bem a situação.

    http://deiumjeito.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Achei lindo a capa desse livro, não conhecia. Muito misteriosa e interessante.
    Acho muito interessante o tema do livro, o fato de ter utilizado uma transgênero, até para abordar esse assunto que é tão distante e complicado ainda para a sociedade.
    Não sei se iria gostar ou não da leitura, nunca li nada neste estilo, mas achei interessante :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi Lu, tudo bem?
    Sou mais uma a querer que este livro chegue por aqui. Gosto de sair da minha zona de conforto de vez em quando. Isto faz bem a todo leitor. Um tema como esse, sendo contado da maneira como você descreve deve ser bom para fazer a diferença, entre os leitores.
    Ótima resenha e dica.
    Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi
    eu vi falarem desse livro em um outro blog falando dos lançamentos internacionais, a premissa dele é bem diferente e interessante, ainda não tinha visto livros com esse tema, fiquei curiosa para ler e que bom que gostou.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oi Luiza!
    Não conhecia essa autora, mas fiquei super interessada no livro!
    Aceitar-se é um tema universal, e pelo jeito a autora trabalhou isso super bem. Também adorei saber que ela é transgênero e a modelo da capa também!

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  13. Pelo pouco que li também achei a história bem atual e ainda assim diferente. Adoro tramas que mesclem romance e mistério, é sempre uma mistura que costuma dar certo. Tá aí um livro que eu leria com certeza.

    Bj, Van - Retrô Books
    http://balaiodelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi Lu! Caramba, que premissa diferente. É uma história com um tema atual e que muita gente não gosta de falar e a autora ter coragem de trazer algo assim e ainda mais com um pouco de sua vivência é digno de admiração.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  15. Nossa Lu! Lendo a resenha me dei conta que até hoje nunca li nenhum livro sobre o assunto, e poxa, parece ser muito bacana! Fiquei mega curiosa, lá vai eu ler em inglês por sua culpa rsrsrsrsrrsrss

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  16. Olá, Luiza.
    Uma obra diferente, com um assunto forte e premissa incomum. Além disso, é excelente para quebrar preconceitos. Sem dúvidas, uma excelente dica. Fiquei muito interessado.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de maio. Serão três vencedores!

    ResponderExcluir
  17. Oi Lu!
    Que livro interessante! Não tenho o costume de ler sobre o assunto, mas fiquei curiosa. Espero que seja publicado em breve!

    Beijos,
    Epílogos e Finais

    ResponderExcluir
  18. Oi, Lu.

    Adorei a resenha. E que bom que o livro vai ser publicado aqui, sabe a editora? O bom dessas autoras gringas menos famosas é que esas são acessíveis, né? Já bati altos papos com a Sarina Bowen, conhece? Vc precisa conhecer! Ela escreveu um livro maravilhoso chamado The Year We Fell Down. Agora vai eu tentar falar com a Colleen... hahahahaha

    Beijo
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  19. Luuuuu, estou me sentindo otária aqui :(
    Quando vi a sinopse desse livro na postagem de intercâmbio não dei muita bola, confesso que nem entendi direito. Para mim, parecia mais um NA e eu não curto muito. Mas agora, ao ler sua resenha, foi que prestei atenção de verdade na sinopse e em tudo o que o livro aborda. E fiquei extremamente feliz. Com certeza vou querer ler. mas já falei que meu inglês é péssimo? Pois é! :(
    Vou ficar aqui na torcida esperando que o livro seja lançado no Brasil. Além disso, adorei as curiosidades que você trouxe. Que mais e mais livros do tipo sejam lançados, para que todos possam se sentir representados :)
    Um beijão
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Oi Luiza,

    Nossa, quando comecei a ler a sinopse achei que era mais um livro como os outros, mas a parte do transgênero... To tentando pensar aqui se li algo assim, mas acho que não. Tomara que a editora brasileira faça um trabalho de divulgação bacana. Quero ler!

    Bjs, @dnisin
    www.sejacult.com.br

    ResponderExcluir
  21. Oi. Cheguei ao seu blog por meio de um grupo no facebook a qual faço parte e fiquei muito interessado na premissa do livro. Tive que vir aqui conferir a resenha.

    Eu acredito que estes livros precisam ser popularizados aqui em nossa país, e eu fiquei louco pra lê-lo, mas como ainda não estou lendo nada em inglês (estou mega enferrujado) fico com receio de pegá-lo e não conseguir absorver nada dele.

    Adorei a resenha e gostaria de perguntar como é a escrita da autora. Você acha que alguém, com o inglês um pouco enferrujado, teria muita dificuldade na compreensão? Por que eu quero MUITO ler este livro. Tipo. LOGO!

    Parabéns pela resenha.

    http://merosdevaneios.com.br

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e volte sempre!
Deixe seu comentário/opinião; estou muito interessada e ele será respondido assim que possível.
Deixe também seu blog, se tiver, que assim possível farei uma visita :)

Tecnologia do Blogger.